La page est en train de chargement

A ZEK: as últimas estatísticas

Blog | Crédito | Notícias

Cada ano, a Zek publica as suas estatísticas relativas aos créditos ao consumo na Suíça para o ano anterior. Quais são os números 2015, e que tendências sobressaem estes últimos anos? Esclarecimentos.

A ZEK

A ZEK, central de informação de crédito, é o ficheiro central suíço de informações de solvibilidade provenientes de atividades de crédito dos lares privados. Cada ano, ficam registadas todas as estatísticas referentes a empréstimos privados. Qualquer pedido de crédito efetuado por um particular junto de um banco ou de uma agência de crédito é assim registado na ZEK. É também este organismo que se encarrega dos “maus códigos”, ou seja de todo o tipo de problema de pagamento relativo a um crédito. Quando um particular deseja obter um crédito pessoal junto de um banco, é através da ZEK que o banco vai inquirir sobre os antecedentes do mutuário.

Os números 2015

Em 2015, os montantes dos créditos ao consumo elevaram-se aos 7,172 mil milhões de Chf para um total de 387’000 contratos ativos. Isto representa mesmo assim um montante médio superior a 18’000 Chf por contrato a reembolsar! Nesta soma, a grande maioria (mais de 90%) é constituída por empréstimos pessoais. Os restantes 10% são assim partilhados entre contratos de pagamento em prestações, créditos fixos e créditos em conta à ordem. Note-se que o ano 2015 regista uma ligeira baixa (3%) relativamente a 2014.

Facto interessante, quase um pedido em três foi recusado em 2015 (30.9%)! Em comparação, é menos do que em 2014, no qual 35.8% dos pedidos de crédito foram recusados. O quadro seguinte mostra os números para 2015 em milhares de francos (1 = 1000 CHF):

Tipos de créditos Novos contratos Número total em curso Montante total
Empréstimos pessoais 117’115 333’911 6’437’853
Contratos de pagamento em prestações 12’432 33’394 315’212
Créditos fixos 6 147 1’922
Créditos em conta à ordem 8’329 19’981 416’974

Os números 2016

Os números de 2016 ainda não estão disponibilizados, mas seria interessante ver se a nova lei sobre as taxas de juros máximas sobre o crédito ao consumo, em vigor desde meados de 2016, terá tido um impacto nos números. De facto, em meados de 2016, as taxas de juros mais elevadas para um crédito ao consumo passaram assim de 15% para 10%, o que representa uma diminuição considerável.